Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS. O governo boliviano avança nas negociações e na homologação de padrões sanitários para exportar alimentos orgânicos, como café e quinoa, para a China e a Rússia. 

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS

 

O vice-ministro da Bolívia do Comércio Exterior e da Integração, Clarems Endara, afirmou que a Bolívia está focada nesse objetivo, especialmente para atender aos setores de classe média nesses grandes países com produtos “sem modificação genética”.

Clarems Endara Vera

 

Endara, cujo escritório depende do Ministério das Relações Exteriores, enfatizou que o café boliviano ganhou prestígio e agora está “entre os melhores do mundo” e a China pediu informações sobre a produção para ver se ela atende aos seus rígidos protocolos sanitários.

 

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS
Café boliviano ganhou prestígio e agora está “entre os melhores do mundo”

 

No caso da quinoa, da qual o país andino é um dos maiores produtores mundiais, há um trabalho em andamento entre a Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China e o Serviço Nacional de Saúde Agrícola e Segurança Alimentar da Bolívia.

 

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS

 

 

Bolívia expõe ao mundo

as vantagens de sua

produção orgânica

 “Podemos começar com 40 milhões de dólares em intenções comerciais” !

Desde de 2015 o país vem se preparando para exportar alimentos orgânicos. Esteve presente na exposição Expo Milão 2015 , uma “feira universal” que teve por volta de  20 milhões de visitantes de todo o mundo. A Expo teve como tema central “Alimente o planeta, energia para a vida” e envolveu 145 países que mostraram o melhor de suas tecnologias e melhores práticas em resposta à insegurança alimentar e às mudanças climáticas.

 

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS

 

Em entrevista ao LA Razón , Clarens Endara, vice-ministro do Comércio Exterior e Integração falou sobre a presença da Bolívia na exposição mundial  realizada em Milão (Itália). “O crescimento da população mundial, os efeitos das mudanças climáticas e as questões alimentares representam um desafio que deve ser enfrentado pelo mundo inteiro. É onde a tradicional indústria agrícola boliviana de quinoa poderia ajudar “, cita parte do conceito de participação do país na Expo.

Clarems Endara Vera
Clarems Endara Vera

 

Alguns pontos da entrevista – realizada em 2015 pelo LA Razón .

– Qual é o objetivo da participação boliviana na feira a ser realizada na Itália?

 

– A participação do país (na feira) está focada principalmente em expor nossa grande riqueza cultural e turística (…). A promoção comercial através da rodada de negócios, a difusão cultural e turística da Bolívia, e a exportação de políticas públicas (são os três pilares que tornam a participação da Bolívia algo bastante particular (…). Em Xangai, participamos de condições ligeiramente diferentes. Embora tenhamos conseguido que os organizadores financiassem o estabelecimento e o equipamento do pavilhão, nenhuma roda de negócios foi projetada, apenas alguns artesãos foram levados para vender seus produtos. Não havia um apoio institucional bonito, por assim dizer. Então, a participação do país foi limitada. Agora queremos cobrir essas deficiências e espalhar muito claramente o que é a Bolívia

 

– Quais de suas políticas públicas o país promoverá durante este evento internacional?

 

– Aqueles que estão relacionados com “Viver bem” e o respeito da Mãe Terra (…). As Nações Unidas, com quem temos um trabalho muito árduo, serviram ao país nos últimos anos como uma plataforma para expressar internacionalmente seus sentimentos em relação ao meio ambiente e à Mãe Terra.

 

– Quantas empresas compõem a delegação nacional?

 

– Aproximadamente 60 empreendedores nacionais de setores não tradicionais que possuem alguma experiência comprovada em exportação ou têm interesse em procurar uma empresa ou patrocínio para aumentar seus investimentos e produção (…). Participar de produtores, artesãos e micro, pequenos e médios empresários de todo o país.

 

– Que tipo de produtos são apresentados no stand do país?

 

– Vinhos, bebidas, café e infusões. (…) Temos também duas áreas têxteis: uma em moda e outra em design e vestuário. Há também um espaço para produtos agroindustriais.

 

– Por que esses produtos?

 

– Uma das vantagens que a Bolívia tem atualmente (no mercado internacional) é que a maioria dos produtos que exporta ainda são orgânicos, como a quinoa. Estamos falando de produtos naturais, sem qualquer modificação, sem qualquer utilização de produtos químicos que possam alterar seu consumo final. É uma vantagem que tem a ver com a preservação do meio ambiente e o cuidado da nossa Mãe Terra (…). Precisamos diversificar nossa produção e exportação. Estamos muito acostumados a ver gás, minerais, mas há muitas coisas que podem ser promovidas lá (na Expo Milão) como manufaturas. Temos uma lista muito importante (de produtos) que merece ter a oportunidade de se mostrar e buscar oportunidades de negócios. Não procuramos necessariamente por vendas, mas também por parceiros, para que possam investir na Bolívia.

Expo Milão 2015 – Pavilhão da Alemanha

– Haverá também ênfase em quinoa e camelídeos?

 

– Temos projetos muito interessantes com quinoa e camelídeos que temos coordenado com a FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura), cuja produção nos permite mostrar toda uma forma de cuidado da Mãe Terra.

Bolívia se prepara para EXPORTAR ORGÂNICOS
A árvore com revestimento externo em treliçado de madeira tem 37m de altura. destina-se a ser o ponto de referência no recinto da feira universal EXPO MILÃO 2015 e palco de shows noturnos.

– Quantas conferências de negócios serão realizadas no stand nacional?

 

– O que queremos é organizar seis rodadas de negócios extremamente eficazes, o mecanismo que projetamos nos permite buscar parceiros para cada uma das empresas selecionadas. Estamos gerando uma rodada de negócios pré-organizada com conhecimento do histórico de negócios de cada lado e, com base nos interesses que já podemos sentar em uma mesa, eles são compromissos organizados muito antes.

 

Quanto pretende gerar nas intenções de negócios?

 

– Demos-nos à tarefa que neste pilar especificamente de promoção comercial podemos começar com 40 milhões de dólares em intenções comerciais entre todos os empresários bolivianos que estarão em Milão.

 

Clarems Endara Vera 

 

Clarems Endara Vera

Cargo: Vice-Ministro de Comércio Exterior e Integração da Bolívia

É formado em Direito pela Universidad Mayor de San Andrés (UMSA). Ele fez pós-graduação no país e no exterior. Ele completou um doutorado na Espanha e é um mestre em negócios internacionais. Foi assistente jurídico, responsável pela Área de Padrões e chefe interino da Unidade de Turismo da Prefeitura de La Paz. Em 2002, ele foi consultor jurídico para imigrantes na ONG Projeto Cultura e Solidariedade da Espanha. No período 2006-2015, ele desenvolveu funções no Ministério das Relações Exteriores, como consultor, chefe da Unidade de Assuntos Bilaterais e Comércio Exterior, chefe da Unidade de Gerenciamento de Projetos de Cooperação Internacional, chefe da Unidade de Direito Econômico Internacional, e diretor de Integração e Cooperação Econômica. Ele também trabalhou como professor nos cursos de direito da UMSA, da Universidade Pública de El Alto (UPEA) e da Universidade Privada del Valle (Univalle).

 

Por: Agência Brasil e LARazón 

 

Conheça todos os SELOS Orgânicos

 

Feira Internacional de Produtos Orgânicos – Junho de 2018

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *