Plásticos. Precisamos viver sem eles

Plásticos. Precisamos APRENDER a viver sem eles, pois até 2050 podemos ter mais plástico do que peixe no mar, segundo a ONU.

Por Louisa Casson

 

Sabemos que nossos oceanos e litorais estão abarrotados de plástico. Todos nós já vimos garrafas de plástico, embalagens de alimentos e sacolas de plástico poluindo praias.  São histórias horríveis sobre criaturas marinhas como aves marinhas e baleias famintas que aparecem mortas com seus estômagos cheios de plástico.

 

 

 

Plásticos. Precisamos viver sem eles

 

Plásticos. Precisamos viver sem eles

 

 

Os cientistas mostraram que aproximadamente 12 milhões de toneladas de plástico estão entrando nos oceanos todos os anos – o equivalente a um caminhão cheio de lixo a cada minuto.

 

Plásticos. Precisamos viver sem eles
Campanha Mares Limpos – ONU

 

 

 

A embalagem plástica utilizada em alimentos e bebidas é a parte principal do problema.

Mas como o plástico realmente entra nos nossos oceanos?

Plásticos. Precisamos viver sem eles

Enquanto cerca de um quinto de lixo marinho é composto por materiais de pesca, materiais perdidos no mar por acidentes e por vazamento  industrial , cerca de 80% por cento do lixo acumulado  nos mares vem da terra.

 

Nosso lixo

 

 

A enorme quantidade de plástico que foi gerada nos últimos 60 anos é ” alarmante”. Uma recente pesquisa mostrou que produzimos uma quantidade exorbitante de  plástico desde a década de 1950 –  o que corresponde a 1 bilhão de elefantes.

 

Ainda mais surpreendente é a quantidade que rapidamente se tornou um desperdício.

Apenas 9% deste plástico foi reciclado. Isso significa que a maioria dos resíduos de plástico simplesmente foram despejados em aterros ou queimados.

Plásticos. Precisamos viver sem eles

E ainda sim, quando os resíduos de plástico são recolhidos e transportados para aterros, representam um grave risco de poluir ao meio ambiente.

 

Plástico mesmo estando

em aterros, podem acabar

em rios e oceanos.

 

Outro grande risco é do plástico que não é coletado, pois faltam sistemas de gerenciamento de lixo, aquela embalagem plástica que é simplesmente descartada ou deixada nas ruas e no ambiente.

 

Esses utensílios de plástico podem ser transportados pelo vento, pela chuva para nossa rede de esgoto, indo parar em rios que fluem para o mar.

 

Os principais rios  ao redor do mundo, por exemplo , já carregam uma quantidade estimada de 1,15 a 2,41 milhões de toneladas de plástico indo para o mar,  o equivalente  a 100 mil caminhões de lixo.

 

Os turistas que visitam praias e deixam para trás suas garrafas, embalagens de alimentos e pontas de cigarros na areia também contribuem diretamente para que o plástico entre no oceano.

 

 

Produtos sem controle

Plásticos. Precisamos viver sem eles

 

Muitas pessoas ficaram horrorizadas ao descobrir que pequenas partículas de plástico conhecidas como microesferas plásticas foram adicionadas a todos os tipos de produtos para cuidados pessoais,  em cosméticos e que escoam diretamente para o ralo.

 

Desde produtos faciais, sabonetes liquidos, gel para banho e até mesmo na pasta de dente.

 

Como muitas destas microesferas plásticas são extremamente pequenas para serem filtradas nas águas residuais, essas microesferas permanecem na água e também podem acabar fluindo para o oceano.

 

Essa indignação do público sobre estas microesferas poluindo nossos oceanos, combinada com grandes campanhas, levou os governos de todo o mundo a proibirem os produtos contendo microesferas plásticas, incluindo o Reino Unido, os EUA e Canada.

 

Mas existe também o plástico utilizado em botões de roupas, os produtos sanitários que são utilizados em banheiros e até fibras plásticas encontrados em produtos para máquinas de lavar roupa, representam outro grande risco do plástico acabar no oceano.

 

Vazamento industrial

 

Finalmente, determinados processos industriais são responsáveis por uma parcela de plástico entrar no meio ambiente. Seja quando não são descartados adequadamente, durante a produção ou no transporte destes produtos.

 

Uma vez que o plástico está em nossos oceanos, ele flui pelas correntes oceânicas em todo o mundo – até em  ilhas  desabitadas e no Pacífico e no Ártico  já estão formando verdadeiras fábricas de plásticos.

 

 

É por isso que temos que resolver a grande raiz do problema.

Para acabar com os plásticos nos oceanos, precisamos que as empresas reduzam a quantidade de plástico que é produzido, para reduzir o consumo de derivados de plástico em nosso dia a dia – em primeiro lugar.

Plásticos. Precisamos viver sem eles

 

Garrafas PET: da produção ao descarte

Saiba onde descartar seus resíduos

Clique ; AQUI

 

Também precisamos que os governos melhorem os sistemas de gerenciamento de resíduos sólidos para aumentar a reutilização do plástico através de iniciativas que estimulem a eficiência dos recursos dentro de uma economia circular.

 

Ou seja , precisamos fechar o circuito do plástico, garantindo que ele deixe de poluir  o meio ambiente e escoe direto para os oceanos.

 

A vida marinha simplesmente

não suporta mais

tanto plástico

Plásticos. Precisamos APRENDER a viver sem eles, pois até 2050 podemos ter mais plástico do que peixe no mar, segundo a ONU.

 

Estamos trabalhando para que às grandes corporações reduzam o plástico e para que os governos tomem medidas severas para enfrentar o problema.

 

E que tal você se juntar

à esta luta para preservar

os rios e oceanos ?

 

Fonte :  https://www.ecowatch.com

 

 

Um comentário em “Plásticos. Precisamos viver sem eles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *